x
x
x
Dec. Est. ES 4.011-N/96 - Dec. - Decreto do Estado do Espírito Santo nº 4.011-N de 24.06.1996

DOE-ES: 25.07.1996

Regulamenta o regime de substituição tributária nas operações que destinem mercadorias a revendedores não inscritos situados no Espírito Santo.


O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e tendo em vista a autorização prevista no Convênio ICMS 75/94 e no Convênio ICMS 33/95,

DECRETA

Art. 1º - Fica atribuída ao remetente estabelecido em outra unidade da Federação, a responsabilidade pela retenção e recolhimento do ICMS devido nas subseqüentes saídas que destinem mercadorias a revendedores não inscritos estabelecidos no território do Espírito Santo que efetuem venda porta-a-porta exclusivamente a consumidor final, promovidas por empresas que se utilizem do sistema de marketing direto para a comercialização de seus produtos.

§ 1º - O disposto no "caput" aplica-se também às saídas que destinem mercadorias a contribuinte do imposto regularmente inscrito neste Estado que distribua os produtos exclusivamente a revendedores não inscritos para venda porta-a-porta.

§ 2º - O disposto no "caput" e no parágrafo anterior aplica-se também nas hipóteses em que o revendedor não inscrito, em lugar de efetuar a venda porta-a-porta, o faça em banca de jornal e revista.

Art. 2º - A atribuição da responsabilidade prevista no art. 1º será formalizada mediante termo de acordo entre a Secretaria de Estado da Fazenda - SEFA - e a empresa interessada, onde serão fixadas as regras relativas a sua operacionalização.

§ 1º - A Secretaria de Estado da Fazenda - SEFA, poderá condicionar a celebração do termo de acordo à prestação de fiança ou de outra garantia.

§ 2º - Para a formalização de termo de acordo derverá ser dirigido requerimento ao Departamento de Regime e Benefícios Fiscais da Coordenação de Tributação, na Secretaria de Estado da Fazenda - SEFA.

Art. 3º - A base de cálculo do imposto, para fins de substituição tributária, será o valor correspondente ao preço de venda a consumidor constante de tabela estabelecida por órgão competente, acrescido do valor do frete ou carreto, quando não incluído no preço, ou, na falta desta, em catálogo ou lista de preços emitidos pelo remetente, acrescido do IPI (quando for o caso), do valor do frete ou carreto, quando não incluído no preço e demais despesas debitadas ao comprador, adicionando o percentual de lucro de 30% (trinta por cento).

Parágrafo único - Inexistindo o valor de que trata o "caput", a base de cálculo será fixada no termo de acordo a que se refere o artigo anterior.

Art. 4º - A nota fiscal emitida pelo sujeito passivo por substituição para documentar operações com revendedor não inscrito conterá, em seu corpo, além das exigências previstas na cláusula segunda do ( continua ... )

Clique e Leia a íntegra deste documento.


Assine aqui Acesso gratuito por 7 dias


Busca Avançada
Área:
  • Todas
  • Federal
  • Trab/Prev

Ajuda: como pesquiso frases ou expressões?